::   Academia Filosófica Cristã   ::
 

*
Calendário e Grupos de Harmonização
----------------------
* Calendário e Grupos Preceptoria Introdução
----------------------
* Harmonização de doentes.
----------------------

Notícias/Artigos

Igreja não se torne comércio, salvação é gratuita.
Vatican Radio
21/11/2014
O Papa criticou os párocos que fazem da igreja "um local de negócios" - OSS_ROM


Cidade do Vaticano (RV) – O Santo Padre celebrou a Santa Missa, na manhã desta sexta-feira, na Capela da Casa Santa Marta, no Vaticano, por ocasião da Apresentação da Beata Virgem Maria no Templo.


Em sua breve reflexão, o Papa disse aos fiéis presentes que a Igreja jamais deve ser “casa de negócios”, porque a redenção em Jesus é sempre gratuita.A Liturgia de hoje propõe a passagem evangélica na qual Jesus expulsa os vendedores do Templo, que transformam a casa de oração em covil de ladrões. Este gesto de Jesus é um verdadeiro ato de purificação: o Templo tinha sido profanado e, como tal, também o Povo de Deus, profanado com o grande pecado do escândalo. E o Papa acrescentou:
“A gente é boa. A gente ia ao Templo e não olhava estas coisas, porque ia para rezar, para buscar Deus, mas devia trocar as moedas para fazer suas ofertas. O Povo de Deus ia ao Templo não por aqueles profanadores e vendedores, mas para encontrar Deus. Porém, se deparava com a corrupção que a escandalizava”.
Assim, o Papa se refere a este tipo de comportamento que pode escandalizar o povo: as atitudes não sacerdotais no Templo, o comércio e o mundanismo. Quantas vezes, ao entrarmos na igreja, nos defrontamos com uma lista de preços: batizados, bênçãos, intenções de Missa. E o povo se escandaliza...
"Uma vez, recentemente ordenado, eu estava com um grupo de universitários, e um casal queria se casar. Tinham ido a uma paróquia: mas queria casar-se com uma Missa. E lá, o secretário paroquial disse: - ‘Não é possível’. Mas porque não se pode com a Missa? Se o Concílio recomenda fazer sempre com a Missa...’. ‘Não é possível porque não podemos passar de 20 minutos’. - ‘Mas por que’? – ‘Porque tem outros horários marcados’. – ‘Mas nós queremos a Missa’. – ‘Então vocês devem pagar dois horários’. E para casar com a Missa tiveram que pagar dois horários. Este é um pecado de escândalo".
O Papa disse ainda: “Sabemos o que Jesus diz àqueles que são motivo de escândalo: ‘”Melhor que sejam jogados ao mar’”:
"Quando aqueles que estão no Templo – sejam sacerdotes, leigos, secretário, mas que precisam administrar a Pastoral do Templo – transformam-se em homens de negócio, o povo se escandaliza. E nós somos responsáveis por isto. Os leigos, inclusive! Todos. Porque se vejo que isso acontece na minha paróquia, devo ter a coragem de dizer isso cara a cara ao pároco. E as pessoas sofrem aquele escândalo. É curioso: o povo de Deus sabe perdoar os seus sacerdotes que apresentam alguma fraqueza, que escorregam em um pecado...sabe perdoar. Mas são duas as coisas que o povo de Deus não pode perdoar: um padre apegado ao dinheiro e um padre que maltrata as pessoas. Não é possível perdoar estes padres. E o escândalo, quando o Templo, a casa de Deus, se transforma em um lugar de negócios, como naquele casamento: alugava-se a igreja”.
Jesus “não está irado” - disse o Papa – “é a ira de Deus, é o zelo pela casa de Deus”, porque “não se pode servir a dois senhores, ou se presta culto a Deus vivo, ou se presta culto ao dinheiro"
“Mas porque Jesus fala do dinheiro, não gosta de dinheiro? Porque a redenção é gratuita; ele vem trazer a gratuidade de Deus, a gratuidade total do amor de Deus. E quando a Igreja ou as Igrejas se tornam comércio, se diz que ... eh, não é tão gratuita, a salvação... É por isso que Jesus pega o chicote na mão para fazer este rito de purificação no Templo. Hoje a liturgia celebra a Apresentação de Nossa Senhora no Templo: da menina... Uma mulher simples, como Anna, está naquele momento, e entra Nossa Senhora. Que ela ensine a todos nós, a todos os pastores, a todos aqueles que têm responsabilidades pastorais, a manter limpo o Templo, para receber com amor os que vêm, como se cada um deles fosse Nossa Senhora". (SP-MT-RB)








Ler Mais